Entrevistas

Live Rocco: 45 anos

30 abril, 2020 por

Um livro. Uma legião de fãs. Uma história que, há 20 anos, passa por gerações e ajuda a formar novos leitores. Um bruxinho tão poderoso capaz de causar comoção mundial. Hoje, é um dia muito especial para nós, potterheads, pois comemoramos os 20 anos do lançamento de Harry Potter e a Pedra Filosofal, o primeiro livro da saga escrita por J.K. Rowling, aqui no Brasil, pela editora Rocco. Além do box comemorativo com os sete livros, a Rocco também promoveu uma live com ninguém menos do que Paulo Rocco, fundador da editora, para comentar a data e adiantar algumas novidades para este ano, quando também são celebrados os 45 anos da casa de publicação.

Dentre o sucesso de Harry Potter e a admiração por J.K. Rowling, Rocco também falou sobre Clarice Lispector, Jogos Vorazes e literatura brasileira e exaltou a forma com que a editora manteve a sua essência ao longo de todos esses anos. Perdeu o papo? Não se preocupe que a gente traz um resumo dos principais tópicos:

Sobre a Rocco

Reprodução Instagram

 

Um estudante de Economia que adorava ler. E foi por causa do amor à leitura que Paulo contou ter agarrado a oportunidade que surgiu na editora Sabiá, quando ele ainda estava na faculdade. A partir disso, começava a ser trilhado o caminho para a fundação da Rocco. Um legado, agora, também passado de pai para filho.

“Eu sou economista, mas nunca exerci a profissão”, explicou. “Fui eu que pedi para trabalhar numa editora. Eu gostava muito de ler e vi a oportunidade na Sabiá. Era uma vaga para gerente. Eu ainda não era apto para esta função, mas trabalhei para isso, até ser. Tive o privilégio de trabalhar com Rubem Braga e Fernando Sabino. Depois, trabalhei em mais duas editoras e, aos 29 anos, resolvi começar a Editora Rocco. Foi e continua sendo uma experiência maravilhosa. Eu comecei com dois livros. Um do Chico Anysio, um grande amigo meu e de quem eu tenho muitas saudades, e outro da Marisa Raja Gabaglia. Na editora, eu estou muito presente todos os dias e, agora, tenho muita alegria de ter o meu filho ao meu lado, cada vez mais presente e interessado”.

Harry Potter

Edição comemorativa de ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal’, de J.K. Rowling/ Divulgação

Comemorar os 20 anos do lançamento de um livro que, até hoje, é um sucesso global e atrai milhares de leitores de todas as idades não é qualquer coisa. Esse é um feito para quem tem talento e, claro, também um pouquinho de sorte e algum feeling. Nada que falte a Paulo Rocco.

“Sempre participamos das feiras internacionais, sendo a principal delas a de Frankfurt”, contou. “Numa dessas, conheci um agente literário inglês que ainda tinha poucos livros. Falei com ele que queria incrementar a linha infantojuvenil na editora e queria saber se ele tinha algo para me oferecer.  Ele disse: ‘olha, tem uma autora que acabou de ser lançada por uma editora britânica que está indo bem. Você quer ler?’. Eu respondi: ‘claro, vamos lá’. Não houve um leilão. Foi uma oferta a várias editoras. Muitos tiveram acesso. Só que eu tive um insight e resolvi fazer algo que não é um hábito meu nem hoje. Eu liguei para ele e começamos a conversar sobre o preço do adiantamento. Chegamos num denominador comum e ele falou comigo que eu já devia saber que seriam sete livros, que o segundo já estava sendo editado também e me perguntou se não poderíamos negociar os dois. E foi assim que adquirimos os direitos de Harry Potter”.

Na época em que a Rocco adquiriu os direitos de Harry Potter, contudo, a história de J.K. Rowling ainda não era o fenômeno que é hoje.  Foi com o lançamento nos Estados Unidos que tudo mudou. Tanto que Rocco disse teve que correr com a tradução para seguir nesse embalo. E foi no dia 30 de abril que a história de Harry Potter no Brasil começou e está longe de terminar.

“Não imaginávamos tudo isso, essa proporção”, afirmou. “A grande surpresa da série Harry Potter é que está se perpetuando. Há 20 anos faz sucesso no mundo todo. Acima de tudo, tem muita qualidade. Sem isso, não se perpetua nada. Uma coleção de livros ser lançado e, ao longo dos anos, substituída é comum. Mas no caso de Harry Potter não. E ele não foi só adorado por crianças. O público adulto também deu um grande impulso à leitura da série. Está passando de geração para geração. Na versão brasileira dos filmes, por exemplo, as legendas foram todas baseadas da tradução do livro, que sempre foi muito elogiada. Temos um texto que passou por todos os crivos. Harry Potter está sempre em evidência pela qualidade. A J.K. Rowling é fantástica. Ela fez uma série maravilhosa”.

Clarice Lispector

Clarice Lispector / Divulgação

Além dos 20 anos da publicação de Harry Potter e dos seus 45 anos, a editora Rocco também celebra em 2020 outra data importante: o centenário da célebre escritora Clarice Lispector. Para isso, Paulo adiantou que está sendo feito um trabalho à altura da autora para homenagea-la.

“Eu tenho várias histórias com a Clarice, ela era uma escritora fantástica”, lembrou. “Quando eu estava começando, ela era contratada de outra editora, mas disse que queria colaborar comigo, com a minha editora, e escreveu um livro. Posteriormente, eu negociei com a agente dela toda a obra. Tivemos um trabalho enorme de colocar toda a obra exatamente como ela tinha escrito e dar também um trabalho gráfico bonito, ao longo dos anos. Agradeço muito ao filho dela, que tem sido um grande parceiro durante todo esse tempo ajudando a divulgar a obra dela. No Brasil, é evidente que cada vez mais leitores estão descobrindo a Clarice. Este ano, inclusive, temos uma surpresa. Um livro novo dela, no qual trazemos uma coletânea das suas cartas inéditas. É mais um presente que a editora planeja para 2020. Também estamos reformulando toda a parte gráfica e visual dos livros dela. Tudo novo é o que podemos fazer para homenagear. Até dezembro (a escritora nasceu em 10 de dezembro de 1920), então, teremos várias surpresas em relação a Clarice. Sabemos de sua importância para a literatura brasileira e, hoje, mundial”.

Jogos Vorazes e Thalita Rebouças

Com certeza, 2020 é um ano muito especial e de comemorações para a editora Rocco. Além de também celebrar os 10 anos da saga Jogos Vorazes, escrita por Suzanne Collins, a editora prepara para o dia 19 de junho o lançamento do novo livro da série, intitulado A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, que se passa antes dos acontecimentos da trilogia original.

Capa de ‘A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes’, de Suzanne Collins / Reprodução Facebook da editora Rocco

“Eu tenho duas alegrias no trabalho, não só com os livros, mas também com os meus colaboradores”, exaltou. “Tenho pessoas trabalhando comigo há mais de 30 anos. A outra é ver os autores satisfeitos com o trabalho da editora. Quando vamos para as feiras, temos tratamento especial. As pessoas têm muito respeito pelo trabalho que a gente faz em relação à literatura. E os autores também. É o caso da Suzanne. A coleção é ótima e ela permanece num patamar muito alto. Eu vejo pelas mensagens. Quando anunciamos o novo livro para junho, as pessoas ficaram alucinadas. Isso é bom pra gente. Dá muito prazer e faz com que a gente continue esse trabalho de procurar livros e autores bons em todas as áreas, de todos os gêneros”.

Outra que também faz aniversário na editora é a escritora brasileira Thalita Rebouças. Com 20 anos de casa e sendo um dos maiores nomes da literatura infantojuvenil brasileira, Paulo é só elogios para a autora.

Thalita Rebouças / Divulgação

“A Thalita sabe o quanto eu gosto dela”, disse. “Ela tem uma empatia com o público que é espontânea. Os livros dela atingem uma das coisas mais importantes que é a renovação de público. Essa é uma das melhores coisas da Thalita. As pessoas envelhecem e continuam amando. Elas têm filhos e os filhos leem. O trabalho dela é importante para a literatura brasileira. E ela também faz um trabalho de divulgação incrível”.

Catálogo

Paulo também exaltou o fato de a editora ter um catálogo extenso e variado, sem se preocupar apenas com best sellers. O sucesso de algumas obras, ele apontou, é consequência do trabalho e da qualidade dos textos escolhidos.

“Isso é o interessante da editora, a gente trabalha catálogo”, ressaltou. “Não buscamos apenas best sellers. Temos uma responsabilidade social com o que estamos levando para os leitores. Não fazemos só livros para serem os mais vendidos. Temos vários livros que sabemos serem de nichos especiais e fazemos com atenção e carinho e sabemos da importância do que fazemos com o leitor. Sobre a Margaret Atwood é a mesma coisa. Ela não está no catalogo agora. Tem mais de 20 anos que ela faz parte do no nosso catálogo. Lançamos nesses anos todos os livros dela. Todos com venda regular. Sempre acreditamos na qualidade dos livros dela. Vender livros é uma consequência de alguns acontecimentos. Ela não se tornaria o que é hoje se não tivesse a qualidade literária. Apostamos há muitos anos. Já tínhamos lançado mais de 20 livros quando saiu O Conto da Aia. Sempre fizemos isso, apostamos no autor”.

Relação com os leitores

Antenado, Paulo exaltou a relação direta dos leitores com a editora, principalmente com as redes sociais. Para ele, essa interação faz toda a diferença.

“Eu fico muito feliz de a editora ser uma das queridas dos leitores”, disse. “É essa interação, eu acho. Nós temos muito prazer, muita alegria no nosso trabalho. Muita seriedade. Essa ligação que temos com os leitores, estamos sempre atuantes, respondendo. Eu presto muita atenção nisso realmente para ver que tipo de interação temos com os leitores. Estamos numa posição muito privilegiada nessa interação e isso nos deixa muito satisfeitos. Eu acompanho. Estou sempre mandando uma notinha. Tenho muito prazer em ver o que os leitores pensam sobre o nossos livros”.

Otimismo

Mesmo com todos os desafios enfrentados pelo mercado editorial, ainda mais com a pandemia, Paulo não perde o otimismo. Pelo contrário. E acredita que é possível encontrar uma renovação em meio a realidade turbulenta.

“Eu sou sempre otimista”, concluiu. “Me perguntaram muito porque estávamos lançando livros avulsos e o box especial da comemoração de Harry Potter num mês tão problemático. Se é uma data significativa, independentemente de não ter a repercussão que gostaríamos em termos de comercialização – estamos tristes com as livrarias fechadas, queremos muito que elas voltem, somos muito amigos e queremos que voltem a funcionar -, temos sempre que acreditar nessas palavras: determinação e ousadia. Sempre fomos ousados e determinados. E é isso que eu quero que todos compartilhem. São essas as nossas palavras na editora, além de renovação, uma constante renovação”.

A busca pela qualidade, indicou Paulo, é a marca registrada da editora. Segundo ele, os autores contratados e as obras publicadas representam bem a essência da Rocco, ao longo de todos esses anos.

“A editora evoluiu”, reforçou. “Ao longo dos anos, lançamos muitos livros. São mais de quatro mil títulos lançados nesses anos todos. O grande mérito da editora sempre foram a persistência e a ousadia. Sempre acreditamos no que estávamos fazendo. O nosso objetivo maior sempre foi e continua sendo a qualidade do texto editorial. Esse é sempre o nosso lema”.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário