Resenhas

O Colecionador de Memórias, de Cecelia Ahern | Resenha

07 maio, 2018 por
livro:
Cecelia Ahern

Reviewed by:
Rating:
5
On 07/05/2018
Last modified:15/05/2018

Summary:

Uma linda e emocionante jornada familiar e pessoal.

‘O Colecionador de Memórias’: uma emocionante jornada familiar

A família é o nosso pilar. A nossa base e a nossa certeza da vida. Mas nada consegue sustentar uma vida levada a mentiras. Omissões. Isso, sim, pode ser a ruína familiar. A mentira é tóxica. Desgasta. Frustra e decepciona. Vira uma bola de neve capaz de afetar a todos. Em O Colecionador de Memórias, publicado pela editora Novo Conceito, Cecelia Ahern nos presenteia com uma bela história de amor e principalmente de perdão.

O livro nos traz a história de Sabrina Boggs, que, ao encontrar uma misteriosa coleção de bens do seu pai, percebe que nunca o conheceu, de fato. E que toda a sua vida fora em meio a mentiras e desconhecimento. A partir daí, em um dia atípico em sua monótona rotina, Sabrina resolve desvendar os segredos desse homem que ela pensava conhecer. O que ela não imaginava é que essa decisão iria mudar completamente a sua vida e a de todos à sua volta.

Depois de algum tempo sem ler uma obra de Cecelia Ahern, fui totalmente arrebatada por O Colecionador de Memórias. Que saudade que eu estava da sua escrita! O livro tem aquela narrativa leve, sensível e delicada com a qual a escritora nos envolve e emociona. E eu tive tudo isso nessa leitura. Que história simples e, ao mesmo tempo, tocante e profunda, capaz de nos entreter e nos fazer refletir sobre tantas questões, tantas nuances da vida.

Sabrina é uma personagem tão real, tão humana que é impossível não se solidarizar com suas frustrações e mágoas. Ela poderia ser uma protagonista até mesmo um pouco irritante, mas, contrariando todas as previsões, Sabrina consegue despertar a nossa empatia (pelo menos, comigo foi assim). Todos os seus conflitos, medos, receios e atitudes são plausíveis e compreensíveis, dentro da sua realidade. E que arco bem construído de personagens e relações. Tudo nessa família Boggs é interessante. 

E, falando dos Boggs, não posso deixar de citar Fergus, o pai de Sabrina e, em minha humilde opinião, o outro protagonista desta história. É tão importante acompanharmos a sua trajetória para entendermos as suas atitudes, mesmo sem concordar com elas. Ponto máximo do livro e um enaltecimento à escritora por ter nos dado não apenas uma, mas duas histórias que se complementam, se enriquecem e nos comovem. E tudo tão brilhantemente amarrado e desenvolvido aos nossos olhos que eu não conseguia me desligar. Não queria que aquela experiência acabasse, mas, ao mesmo tempo, eu queria TANTO saber mais sobre Fergus, Sabrina e a família Boggs (e os Doyle, claro). Que viagem incrível através de sua origem, do seu passado, bem como “testemunhar” essas consequências que tanto se encaixam e influenciaram no presente.

Cecelia, ao contrário de seus personagens, não se omite na narrativa. Ela nos fornece tudo. O Colecionador de Memórias é uma jornada de redescobrimento pessoal. De autoaceitação. De família sob todos os aspectos, conflitos e significados. Para o bem e para o mal. De encontros e reencontros. Superação. Mudanças. Para esses personagens e para nós, leitores.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário