Melhores Leituras 2016 – Parte 3

Escolher as melhores leituras de um ano é quase tão impossível quanto definir qual é o meu chocolate preferido. Como 2017 já começou a toda aqui no Vai Lendo e tivemos inúmeras coisas para resolver e programar, nossa lista sofreu alguns atrasos. Mas, como nós também somos fanáticos por listas e achamos que nunca é tarde demais para fazê-las, segue a terceira e última parte, agora com as minhas opções. Foi difícil, sofrido e me sentirei culpada pelo resto do ano por ter deixado alguns de fora. Contudo, sensível do jeito que sou, não pude deixar de priorizar os títulos que mais mexeram com o meu coraçãozinho e, claro, me fizeram derramar algumas (muitas) lágrimas. Espero que gostem!

‘A Irmandade Perdida’, de Anne Fortier | Arqueiro

Desde que eu li Julieta, fiquei desesperada procurando outra obra dessa autora. Literalmente. O problema de você ser fã de uma autora cujos livros demandam uma pesquisa extremamente ampla e complexa é o tempo que você terá que esperar para ler algo dela. E foi exatamente isso que eu passei entre Julieta e A Irmandade Perdida. E, olha, toda a espera valeu muito a pena. A capacidade de Anne de desenvolver duas tramas em uma, misturando realidade, ficção e história é absolutamente incrível! Ainda mais quando, somado a tudo isso, temos uma temática sobre mitologia grega e personagens femininas fortes. Como não amar? Eu simplesmente não queria que o livro acabasse e tive uma profunda DPL (Depressão Pós-Leitura) ao final. Agora, voltei ao processo de espera pelo próximo livro da autora. Essa vida de leitora não é justa e fácil, não, viu?

Trilogia ‘Não Pare’, de FML Pepper | Valentina

Ok, eu sei que são três livros, mas eu quero falar da trilogia inteira e ainda tenho mais livros para comentar. Não me julguem. A lista é minha, ora! Enfim, a trilogia de Pepper é arrebatadora. Toda ela. Porque a autora consegue manter um ritmo totalmente frenético em TODOS os livros. E a trama é tão bem desenvolvida ao longo dos títulos que você consegue perceber nitidamente não apenas a evolução dos personagens e da história, mas também da narrativa. Tanto que você perde o fôlego em vários momentos. Morte, família, perdão, redenção, superação, lealdade, amor. Está tudo lá. E o que é melhor: é uma fantasia NACIONAL. É de bater no peito e inchar de orgulho e dizer que, sim, nós também temos fantasia. E das boas!

‘O Amor nos Tempos do Ouro’, de Marina Carvalho | Globo Alt

Para a minha, a nossa alegria, mais um nacional na lista. E, gente, que livro! Que delicadeza e sensibilidade de Marina Carvalho ao reproduzir uma época do nosso país ainda tão pouco explorada pela literatura. E que personagem maravilhosa que é Cécile, a protagonista. Íntegra, forte, corajosa e humana. Impossível não se apaixonar por ela, por Fernão e por toda a história. Mal posso esperar pelo próximo livro!

‘Simons vs. A Agenda Homo Sapiens’, de Becky Albertalli | Intrínseca

Gente, sabe o que é amor em forma de livro? Então! Eu só consigo me referir a essa obra e a tudo o que é relacionado a ela com essa palavra: amor. Amor (MUITO amor) por Simon, por Blue, pela trama e por Becky. Leve, sensível, extremamente natural e verdadeiro. Esse livro é o amor acima de todos os preconceitos, de todas as formas e cores. E que bom que os jovens de hoje têm livros como esse que podem representá-los. Porque o amor nos representa! <3

‘A Fúria e a Aurora’, de Renée Ahdieh | Globo Alt

Já falei que sou fissurada (quase obcecada) por mitologia, lendas e afins? Pois então. Fiquei completamente hipnotizada pela versão de As Mil e Uma Noites de Renée. Que poder! Que capacidade incrível de adaptar uma história e de transformá-la em algo tão autêntico. Sherazade é um furacão de carisma e de intensidade. Com uma narrativa extremamente leve e fluida, tive, por várias vezes, a sensação de estar eu mesma dentro da própria história.

MENÇÃO HONROSA

Eu disse que a escolha foi sofrida e difícil. Tanto que eu simplesmente não podia deixar esse livro de fora. E, como a lista é minha, me senti na obrigação de criar uma menção honrosa para que ele não ficasse de fora. E duvido que vocês não concordem comigo quando souberem qual é o título.

‘Magnus Chase – O Martelo de Thor’, de Rick Riordan | Intrínseca

Tio Rick! É claro que, para uma pessoa quase obcecada por mitologia como eu, Rick Riordan é praticamente um deus grego, nórdico, egípcio… E a continuação da saga de Magnus Chase só veio para comprovar o seu talento de se comunicar com os jovens e conseguir, através das páginas, não apenas passar as noções de mitologia, mas também e principalmente transformar essa temática em algo tão atual e passar valores importantes. Com o Martelo de Thor, eu, que acompanho tio Rick há algum tempo, percebi uma evolução absurda em sua linguagem. Já declarei aqui no Vai Lendo minha predileção por Magnus (desculpem-me, fãs de Percy), mas eu acho que isso só aconteceu por causa da trama construída pelo autor, bem como pelos demais personagens que não apenas ajudam o protagonista em suas aventuras, mas são fundamentais para o seu amadurecimento. E que sensibilidade de Riordan ao abordar temas como religião, gênero, família, amizade, entre tantos outros. Senti nesse livro uma consciência maior do autor para trazer alguns temas tão importantes na vida dos jovens e dos leitores, em geral. E tudo sem perder o bom humor! Tio Rick, posso estar com quase 30 anos (AI!), mas continuo sendo sua fã e leitora assídua e fiel! E filha de Athena, é claro!

Juliana d'Arêde

Jornalista de coração. Leitora por vocação. Completamente apaixonada pelo universo dos livros, adoraria ser amiga da Jane Austen, desvendar símbolos com Robert Langdon, estudar em Hogwarts (e ser da Grifinória, é claro), ouvir histórias contadas pelo próprio Sidney Sheldon, conhecer Avalon e Camelot e experimentar a magia ao lado de Marion Zimmer Bradley, mas conheceu Mauricio de Sousa e Pedro Bandeira e não poderia ser mais realizada "literariamente". Ainda terá uma biblioteca em casa, tipo aquela de "A Bela e a Fera".

2 comentários em “Melhores Leituras 2016 – Parte 3

  • 07/02/2017 em 23:49
    Permalink

    Aiii, simplesmente PRECISO ler Simon vs. A Agenda Homo Sapiens! Esse livro tá na minha wishlist há um tempo e morro de vontade de ler. <3

    Beijão,
    Aline – Livro Lab

    Resposta
    • 09/02/2017 em 15:08
      Permalink

      Oi, Aline!!

      Nossa, você vai AMAR!! Eu sou muito suspeita, mas garanto que Simon vs. A Agenda Homo Sapiens é a coisa mais LINDA! <3
      Fiquei muito encantada e apaixonada pelo livro!
      Quando ler, me conte o que achou! 😉

      Beijos e obrigada pelo comentário!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.