Resenhas

Um Tom Mais Escuro de Magia, de V. E. Schwaub | Resenha

11 janeiro, 2017 por
livro:
V. E. Schwaub

Reviewed by:
Rating:
4
On 11/01/2017
Last modified:25/08/2020

Summary:

Uma boa fantasia, mas que poderia ser ainda melhor.

‘Um Tom Mais Escuro de Magia’: livro traz camadas diferentes de fantasia

Um Tom Mais Escuro de Magia, de V. E. Schwaub,  publicado pela editora Record, foi o tipo de livro que me chamou a atenção já por causa do título. Quando bati o olho no título, eu falei: dane-se a minha pobreza! Preciso ler esse livro!

Bom, não me arrependi. O título e a sinopse prometiam uma fantasia e foi o que eu tive – embora eu admita que foi um pouco diferente do que eu esperava, mas foi bem legal.

O livro está bem feito e a história está coerente. Muito bom.

‘Um Tom Mais Escuro de Magia’ / Foto: Carol Defanti

A trama gira em torno do estranho universo de Kell, um dos últimos Antari – ou seja, magos – que existem, constituído por nada menos do que três Londres diferentes.

Bizarro, né? Também achei. Por isso me interessei.

O fato é que, como Antari, Kell consegue abrir portas, ou seja, ele consegue viajar pelas Londres – o que ninguém mais consegue e é uma habilidade legal para caramba.

Eu queria ser capaz de viajar por várias versões de Londres.

Mas é claro que as coisas não podiam ficar bem para sempre, só com o Kell indo e vindo de uma Londres para a outra e cuidando da vida dele e entregando as cartas da realeza e sendo incrível. Tinha que acontecer alguma coisa para complicar tudo.

E se você quiser saber o que foi que aconteceu, eu acho melhor ler o livro.

Vale a pena. É bacana.

‘Um Tom Mais Escuro de Magia’ / Foto: Carol Defanti

Mais acima eu comentei que esse livro foi um pouco diferente do que eu esperava e eu gostaria de dizer o motivo. Foi porque eu esperava, tenho que admitir – embora eu tenha achado a história boa –, mais, porque a premissa dava a entender que seria mais. Ao terminar de ler, eu fiquei com uma sensação incômoda de que faltou alguma coisa – até agora eu ainda não sei exatamente o que é, se tivesse que falar em termos culinários, eu diria que faltou uma pimentinha, porque o livro não arde, mas deveria.

Mesmo assim, não acho que seja razão o suficiente para não recomendá-lo. Acho que os leitores de fantasia podem gostar dele.

‘Um Tom Mais Escuro de Magia’ / Foto: Carol Defanti

Quanto ao trabalho da editora, está bem feito. A capa está muito bacana, muito coerente com a história. A diagramação está simples, mas isso não é problema. Vi pouquíssimos erros de revisão e nada muito alarmante. A fonte está boa para a leitura e o tamanho não pequeno, mas também não é exorbitante. Enfim, a editora fez um bom trabalho.

Um Tom Mais Escuro de Magia veio de repente, de uma autora sobre a qual eu nunca ouvi falar, propondo uma fantasia e realmente dando uma fantasia.

Recomendo o livro.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário