Resenhas

Depois, de Stephen King | Resenha

17 novembro, 2021 por

‘Depois’: uma história boa, repleta de sustos, mas que não arrebatou

Depois, de Stephen King | Resenha

Após um longo hiato sem ler nenhuma obra do mestre Stephen King, me rendi a Depois, publicado, no começo de 2021, pela editora Suma. O livro tem como premissa um garoto que vê gente morta e, só por este detalhe, já fui fisgado de imediato.

Na trama, James Conklin não é uma criança comum, afinal, ele tem este dom (ou seria maldição?) e precisa lidar com todas as consequências da sua habilidade. Para Jamie, o complicado é diferenciar os mortos dos vivos, afinal, são muito parecidos. Exceto pelo fato de que eles ficam para sempre nas roupas em que morreram e são incapazes de mentir.

James mantém o dom em segredo, até que um dia a companheira da sua mãe, Liz Dutton, que é detetive do Departamento de Polícia de Nova York, o aborda na saída da escola e lhe pede ajuda para resolver um caso. Liz precisa que o garoto descubra um segredo de um terrorista morto e, assim, ele embarca na jornada mais assustadora de sua vida.

Um livro que dá medo

Quote Depois, de Stephen King

Logo no início da leitura, já levei um susto e fiquei tenso. A fórmula de misturar criança vendo gente morta perambulando por aí é algo que me aterroriza e, por assim dizer, me agrada. Afinal, quando busco um livro com uma pegada sobrenatural quero é sentir medo e, neste sentido, Depois cumpriu o seu papel. 

Mais do que o susto com os personagens mortos que achávamos que estavam vivos, a descrição do estado destes corpos é horripilante. Sério, imagine você criança – ou até mesmo adulto – ter que ficar encarando um sujeito todo destroçado… É muito sinistro. Não sei se me acostumaria e conseguiria lidar bem com isso.

Mistura de gêneros

Apenas os mortos não têm segredos - Depois, de Stephen King

Depois é um livro policial com uma pegada sobrenatural. Foi uma mistura interessante, com potencial, mas que não me ganhou por completo. 

Apesar do início bastante promissor, uma vez que Stephen King usou e abusou do seu talento no terror/horror para envolver o público na trama policial, a narrativa evoluiu para um caminho que eu não curti tanto. 

O texto envolvente, característico do autor, está presente na obra. Entretanto, por mais que eu tenha devorado o livro rapidamente, não me senti plenamente satisfeito com o que eu lia. A parceria de James com Liz, ou, melhor dizendo, sequestro, não me cativou. Acabei preferindo algumas ações pontuais na história do que a trama dos dois, que é a espinha dorsal da narrativa.

Mais desenvolvimento 

Ao contrário de outras publicações do autor – com excessivas páginas que poderiam ser facilmente supridas -, Depois precisava de mais desenvolvimento. Por exemplo, o passado da família central tinha que ser melhor explorado. Inclusive, foi um dos pontos que mais despertaram o meu interesse na trama.

Expectativas e frustrações

Depois, de Stephen King | Resenha

Confesso que estava com expectativas lá no alto. Talvez, apostar demais tenha sido o meu maior erro. Depois é uma história boa, ágil, repleta de sustos e surpresas, porém não me arrebatou.

Título: Depois | Autora: Stephen King | Tradução: Regiane Winarski   | Editora: Suma | Páginas: 192

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário