Resenhas

Chronos: Limites do Tempos de Rysa Walker | Resenha

Uma nova viagem no tempo está marcada. Escolha seu aliado com sabedoria. Chronos: Limites do Tempo é o segundo volume da trilogia Chronos escrita por Rysa Walker e lançada pela Darkside Books em meados de Agosto de 2018.

Nessa nova aventura nossa protagonista, Kate, tem uma nova missão. Recuperar o maior número de chaves Chronos que for possível sem despertar qualquer desconfiança de seu avô materno e sua tia Prudence. Os dois vêm manipulando a história e criando uma nova religião que tem cada vez mais poder, os ciristas, que acreditam que os dois são messias vivos. Ao que tudo indica, eles pretendem acabar com boa parte da população mundial e Kate, como uma das poucas pessoas capazes de usar as chaves e viajar pelo tempo, precisa impedir seus planos.

A autora é uma historiadora fantástica, pois é capaz de misturar a ficção que está criando em Chronos: Limites do Tempo com fatos realmente conhecidos da história Norte Americana e mundial. Mesmo sendo um livro para um público mais jovem com características bem básicas do gênero, como a menina que precisa decidir entre dois garotos lindos e espertos que fariam qualquer coisa por ela, Rysa Walker faz uma grande crítica ao fanatismo religioso em todas as eras e como isso afeta o julgamento humano e suas tomadas de decisão. 

Nas duas passagens destacadas a seguir, podemos ver como muitas religiões atuais ainda captam seus seguidores e os mantém em suas linhas. – “Minha mãe não tinha escolaridade, era viúva e tinha um filho para alimentar. Eu ainda era criança, não importava o quanto eu tentasse ser maduro. Os ciristas davam a ela comida e abrigo, para nós dois, coisas que ela aceitou com gratidão. Essa é a realidade de muitas, muitas pessoas que os acompanharam ao longo dos anos, Kate. Eu vivi entre eles durante oito anos. Mais tempo do que tive convivência com meu pai. Você começa a enxergar as coisas de um jeito diferente depois de um tempo.” – A outra passagem que veio logo depois que também me chamou muito a minha atenção foi a seguinte: “Por mais que quisesse ‘desver’ o que aconteceu em Estero, uma coisa é saber que existem pessoas por aí que acreditam tão fortemente em alguma coisa a ponto de morrer por ela. Outra coisa totalmente diferente é saber que você está lidando com pessoas que vão cortar a própria garganta de orelha a orelha e continuar ostentando o sorriso enquanto suas vidas se esvaem, confiantes de que o sacrifício valeu a pena.

Chronos: Limites do Tempo apresenta várias referências literárias, de cultura pop e filmes Disney que me fizeram amar ainda mais a sequência do que o primeiro volume da série. – “Sabe, seria muito mais fácil me acostumar a isso tudo se você tivesse que voltar para a sua TARDIS ou algo assim antes de desaparecer.” – Bela e a Fera é um dos meus filmes infantis favoritos no mundo e achar uma coisa dessa no meio do livro com certeza me fez sorrir. – “O primeiro dia do ano de formatura termina sem grandes incidentes, tirando um cotovelo ferido que ganhei quando um cara com uma estranha semelhança ao Gaston de A Bela e a Fera me empurrou contra os armários.”

Sem sombra de dúvidas esse volume da série Chronos foi uma surpresa, visto que, a continuação foi muito mais gostosa de ler e muito melhor que o primeiro, que eu já tinha gostado bastante. Agora estou louca para saber como essa história vai acabar em Chronos: Fragmentos do Tempo.

Título: Chronos: Limites do Tempo | Autora: Rysa Walker | Editora: DarkSide Books | Páginas: 384

Provavelmente a estranha no ninho do grupo. Menina de exatas no meio da galera de humanas. Uma completa apaixonada por livros que precisa urgentemente diminuir a quantidade de livros que ficaram encalhados na estante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.