Resenhas

Como Sobreviver à Realeza, de Rachel Hawkins | Resenha

23 setembro, 2020 por

‘Como Sobreviver à Realeza’: uma leitura divertida e surpreendente

Sabe aquele sonho adolescente de encontrar o “príncipe encantado” e, quem sabe, literalmente entrar para a realeza? Pois então. A Daisy Winters, de Como Sobreviver à Realeza, lançamento da editora Alt escrito por Rachel Hawkins, nunca quis isso. Mas foi exatamente o que aconteceu com ela. Pelo menos, em parte. E o resultado? Um livro delicioso e divertido.

Na história, Daisy é uma jovem comum, com seus cabelos vermelhos, que só quer aproveitar a viagem com a melhor amiga para uma convenção de cultura pop. O problema é que sua irmã mais velha perfeita está noiva de ninguém menos do que o príncipe da Escócia. Ela até tenta se manter alheia a tudo isso e bem longe dos holofotes, mas uma armação acaba fazendo com que ela vá parar nas manchetes das revistas. Por isso, Daisy é intimada a passar as suas férias na Escócia para se manter longe de confusão. O que, para muitas pessoas, seria um sonho, para Daisy é quase um sacrifício, ainda mais quando ela precisa lidar com o charmoso Miles, que foi designado para ensiná-la como se adaptar a essa realidade. E, ainda que a Coroa escocesa tente fazer com que Daisy siga as suas regras, é a jovem que pode acabar mudando as normas reais.

Como Sobreviver à Realeza é um bálsamo. Sabe aquela leitura gostosa? Que você nem percebe o quanto está fluindo e, quando vê, praticamente terminou o livro? É exatamente isso. A escrita de Rachel é ágil, objetiva. Ela não se prende a maiores detalhes e confere um ritmo bem leve à narrativa. Adorei, inclusive, as intervenções em forma de matérias das revistas de fofocas. Simples e genial.

Daisy é extremamente carismática e engraçada. No início, até me pareceu que ela seria mais uma daquelas adolescentes meio cínicas que, dependendo da situação, acaba tirando um pouco a nossa paciência. Não poderia estar mais enganada! Daisy literalmente rouba a cena. Ela é ousada, empoderada, destemida e cheia de personalidade. Em poucas páginas, fui completamente hipnotizada pelo humor ácido e inteligente da protagonista, responsável por algumas tiradas hilárias, característica que puxou do pai. Aliás, que dupla! Confesso que, às vezes, chegava a ficar constrangida com o senso de humor paterno, mas me diverti horrores com isso.

Ainda que possa parecer mais um clichê, Como Sobreviver à Realeza conseguiu me surpreender, em todos os sentidos. Inclusive, em termos de construção de personagens e da narrativa. Rachel não nos entrega uma história rasa. Longe disso. E mesmo os clichês – que eu adoro, por sinal! – são bem desenvolvidos. Você consegue – mesmo que não concorde – entender as atitudes e comportamentos dos personagens, que fogem da superficialidade.

Rachel fala sobre feminismo, família, sexualidade e reflete muito sobre a pressão imposta pela sociedade para nos adequarmos a certos padrões – que dirá quando isso diz respeito à realeza. E é claro que também não poderia faltar o romance. Miles é uma graça. Introvertido, quase sisudo, ele também tem seus motivos para agir com Daisy da maneira que age, mas todas muito bem colocadas e pontuadas. Eu simplesmente não consegui nem ficar chateada com ele. E a dinâmica entre eles é bem fofa.

Eu achei sensacional a premissa de o livro ser todo através do ponto de vista de Daisy, que não queria estar vivendo algo que pode ser idealizado por muita gente e também por sua irmã mais velha (que, mesmo parecendo ser uma ingrata superficial, tem seus próprios problemas e inseguranças para lidar e me comoveu). Daisy faz tudo parecer mais verdadeiro, mas plausível e interessante. Como Sobreviver à Realeza é aquele livro para ser única e exclusivamente bem aproveitado, para deixar aquele sorriso no rosto ao final da leitura. Mal posso esperar para ler o próximo livro da série, Sua Alteza Real (que também será lançado pela Alt).

Título: Como Sobreviver à Realeza | Autora: Rachel Hawkins | Tradutora: Isadora Sinay |Editora: Alt | Páginas: 312

 

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário