Vozes do Joelma: os Gritos que não foram ouvidos | Resenha

Review of: Vozes do Joelma
book:
Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini

Reviewed by:
Rating:
4
On 12/02/2020
Last modified:13/02/2020

Summary:

Uma boa oportunidade para conhecer os talentos do horror nacional.

Vozes do Joelma: uma boa oportunidade para conhecer os talentos do horror nacional

O trágico incêndio do edifício Joelma, em São Paulo, na década de 1970, foi um desastre que marcou a sociedade brasileira. Mesmo sem ter nascido na época, lembro-me das imagens televisionadas para retratar o acontecimento. Eram chocantes! Me recordo também da grande labareda engolindo o prédio, pessoas desesperadas, outras pulando das janelas rumo à morte, feridos inconscientes sendo resgatados pelos bombeiros… Chego a ficar arrepiado!

Falar sobre o Joelma envolve toda uma morbidez. Mesmo quando assistimos a um documentário sobre a tragédia, a “sensação ruim” já está lá. Se apropriar desta áurea negativa para fazer ficção de terror é algo bem interessante. Particularmente, gosto muito (e fico aterrorizado). E é juntando este elemento sombrio com bastante criatividade que embarcamos na leitura de Vozes do Joelma: os Gritos que não foram ouvidos, publicado pela Faro editorial.

O livro, escrito por Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini, com apresentação de Tiago Toy, traz versões sinistras sobre diversas tragédias (lendas) que permearam o local onde estava situado o edifício Joelma. Pois é, o incêndio não foi a única desgraça ocorrida no lugar. Aparentemente, a região é amaldiçoada desde a época dos índios, que o chamavam de Anhangabaú: águas do mal. Portanto, não preciso dizer que há várias histórias sinistras.
Como não sou de São Paulo, não conhecia a má fama do local e fiquei surpreso com toda essa vocação para a tragédia do Anhangabaú. A ideia da concepção do livro é muito boa, assim como o trabalho gráfico da editora. A capa é muito bem desenvolvida e faz com que a obra se destaque nas prateleiras. Um verdadeiro convite à leitura.
As histórias de Vozes do Joelma: os Gritos que não foram ouvidos, no geral, são boas e seguem em uma crescente. Acredito que o livro poderia explorar mais o real para construir a sua ficção, mas cumpre bem a proposta. Cada autor se utiliza de uma faceta do terror para desenvolver a sua narrativa – o que pode agradar ou não, dependendo do gosto específico do leitor.
Conheço o trabalho de parte dos autores (só não havia lido Rodrigo de Oliveira e Tiago Toy) e, na minha opinião, a maior surpresa foi o texto de Victor Bonini. Já havia gostado bastante do seu livro Quando ela desaparecer e, por isso, imaginava um padrão de escrita e história, porém, o autor trouxe algo diferente, tão bom quanto.
 
Vozes do Joelma: os Gritos que não foram ouvidos traz diferentes histórias que rondam o universo do famoso edifício, apesar de não focar exclusivamente na tragédia. Além de explorar diferentes nuances do terror, o livro é uma ótima oportunidade de conhecer o trabalho desta promissora geração de autores nacionais.
Uma boa oportunidade para conhecer os talentos do horror nacional.

Daniel Lanhas

Apaixonado por histórias, tramas e personagens. É o tipo de leitor que fica obsessivamente tentando adivinhar o que vai acontecer, porém gosta de ser surpreendido. Independente do gênero, dispensando apenas os romances melosos, prefere os livros digitais aos impressos, pois, assim, ele pode carregar para qualquer lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.