A Contrapartida, de Uranio Bonoldi | Resenha

Review of: A Contrapartida
book:
uranio bonoldi

Reviewed by:
Rating:
4
On 07/02/2020
Last modified:12/02/2020

Summary:

Um thriller eletrizante e divertido, mas precisava ser melhor lapidado.

‘A Contrapartida’:  uma trama de tirar o fôlego

Até que ponto você é capaz de ir para conseguir realizar os seus desejos? Em A Contrapartida, de Uranio Bonoldi, publicado pela editora Valentina, somos alçados para um thriller eletrizante que conta a história de Tavinho. Com dificuldades de aprendizado, o jovem, ao participar de um ritual indígena com direito a chá misterioso e sacrifício humano, consegue aguçar a sua perspicácia e desenvolver uma surpreendente inteligência. É claro, como o próprio título já diz, um dia a conta chega e, aí, só lendo para descobrir.

A Contrapartida é um livro que vai questionar as nossas escolhas, os caminhos que traçamos para conquistarmos os nossos sonhos. Será que é mais fácil buscar um atalho? Os debates éticos são a marca da obra. Porém, passa longe de ser algo chato, didático. Pelo contrário, a narrativa é envolvente, repleta de reviravoltas e, acima de tudo, diverte o público. O difícil é parar de ler!

A Contrapartida brinda o público com cenas tensas – daquelas de dar “nervosinho” (SÉRIO MESMO!) – suspense, ação e momentos, digamos assim, cômicos, para não dizer surreais. Durante a leitura, eu pensava: “o personagem não pode fazer isso…”, “não pode ser!”, “ninguém seria trouxa a esse ponto”, “isso é inacreditável!”.  Ficava revoltado, mas não conseguia largar o livro. No fim, me dei conta do quanto estava entretido naquilo e, convenhamos, é ficção! Sair um pouco da realidade é válido. O livro também tem amor, mas, nesse quesito, acredito que a execução não foi tão boa.

Se o autor conseguisse lapidar melhor os personagens, talvez, o romance pudesse deslanchar. Com exceção de Tavinho e da índia Iaúna, os outros não são bem desenvolvidos. Martha – a namorada de adolescência – , a meu ver, foi uma das mais prejudicadas, tendo a trama pouco aproveitada. Um desperdício! A edição é outro fator que merecia um acabamento mais aprimorado. Alguns detalhes precisam estar mais amarrados, explicados, para uma continuidade melhor.

Apesar disso, A Contrapartida tem uma boa história, característica que considero primordial para um bom livro, e um excelente desfecho. Isso sem falar na índia Iaúna, uma das personagens mais instigantes que “conheci” há tempos. Ela rouba a cena.

A Contrapartida foi uma grata surpresa literária. Uma história cativante, tensa e questionadora. Uma leitura arrebatadora, que prende do começo ao fim.

Um thriller eletrizante e divertido, mas precisava ser melhor lapidado.

Daniel Lanhas

Apaixonado por histórias, tramas e personagens. É o tipo de leitor que fica obsessivamente tentando adivinhar o que vai acontecer, porém gosta de ser surpreendido. Independente do gênero, dispensando apenas os romances melosos, prefere os livros digitais aos impressos, pois, assim, ele pode carregar para qualquer lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.