O Som de um Coração Vazio, de Graciela Mayrink | Resenha

livro:
Graciela Mayrink

Reviewed by:
Rating:
4
On 08/01/2019
Last modified:16/01/2019

Summary:

Com uma narrativa leve, Graciela aborda um tema delicado de maneira informativa e sensível.

‘O Som de um Coração Vazio’: o silêncio não é uma opção

A depressão é um assunto sério e delicado. Especialmente quando envolve adolescentes, que vivem uma fase conturbada de mudanças, descobrimento e autoafirmação. Eles podem não ter boletos para pagar – argumento ainda utilizado por adultos para menosprezar os problemas dos mais jovens -, porém, cada um encara os obstáculos impostos pela vida de um jeito. Cada geração tem os dramas pertinentes de sua época. Não dá para comparar! O pior é que, muitas vezes, eles sofrem em silêncio e os familiares não percebem. Identificar a depressão é um desafio e, mais complicado ainda, é manter um diálogo, buscar a ajuda adequada. Neste processo de compreender melhor a doença, o livro pode ser uma ferramenta de auxílio, esclarecimento, informação e entretenimento para não apenas mostrar exemplos de pessoas que conseguiram superar certas adversidades, mas também – e principalmente – a necessidade de respeitar e tratar o assunto com seriedade.

Em O Som de um Coração Vazio, publicado pela editora Bambolê, Graciela Mayrink aborda a depressão na juventude em uma trama que une fã e ídolo em um inusitado encontro num fórum online que debate a doença. Mesmo sem saber que está trocando mensagem com Gabriel Moura – o seu cantor favorito – , Carolina descobre em uma amizade virtual forças para superar assombros do passado que a levaram a perder o encanto pela vida e a se isolar da irmã gêmea, dos pais e dos amigos.

Outra coisa que Carolina não sabe é que o seu ídolo está longe de ter a vida perfeita. Mesmo após lançar um álbum aclamado pela crítica, o astro do rock luta contra uma série de obsessões e compulsões, muitas delas colocadas em sua cabeça pela mãe. De certa forma, conversar com Carol no fórum acaba ajudando Gabriel a lidar com os seus próprios fantasmas e superar os próprios obstáculos.

O Som de um Coração Vazio é dividido em duas narrativas que se cruzam no fórum sobre depressão. A trama tem um texto leve, ágil e bem próximo do seu público-alvo (em alguns trechos, por exemplo, a autora utiliza a estrutura de troca de mensagens na internet). É interessante observar como duas vidas completamente distintas têm seus próprios desafios e como uma pode ajudar a outra. Ninguém é perfeito (ou tem uma vida sem dificuldades).

Mesmo focando em Carolina e Gabriel, um ponto de vista que agrega muito valor à obra é o olhar de Luciana, irmã gêmea da Carol, sobre a doença e as suas dificuldades em lidar com o problema e conversar com os pais sobre o assunto. É muito importante trazer esta abordagem porque mostra também como a depressão é algo que afeta toda a família.

Outro detalhe que chama muita atenção no livro é o título. O Som de um Coração Vazio, além de refletir a história narrada, é de uma sensibilidade e reflexão singulares. Antes mesmo da leitura, e sabendo da temática, ficava pensando no que esse conjunto de palavras simbolizava. É muito tocante! Há um bom tempo não via um título tão condizente e apropriado para uma obra.

Abordar certos assuntos polêmicos para o público jovem é sempre muito delicado. Ao mesmo tempo que suavizar demais o problema pode ficcionalizar a realidade e afastar o público da trama, detalhar o drama e o sofrimento podem descaracterizar o público-alvo do livro, o que não é o objetivo.

O Som de um Coração Vazio, neste sentido, consegue um bom equilíbrio ao tratar do tema – depressão – sem ficar pesado. É uma trama que faz o jovem leitor suspirar numa história apaixonante, traz informação e deixa uma mensagem bem positiva.

Os jovens também sofrem de depressão. É preciso falar sobre isso. Ler sobre o assunto. Escrever. Não adianta ignorar, é preciso discutir. O silêncio não é uma opção.

Com uma narrativa leve, Graciela aborda um tema delicado de maneira informativa e sensível.

Daniel Lanhas

Apaixonado por histórias, tramas e personagens. É o tipo de leitor que fica obsessivamente tentando adivinhar o que vai acontecer, porém gosta de ser surpreendido. Independente do gênero, dispensando apenas os romances melosos, prefere os livros digitais aos impressos, pois, assim, ele pode carregar para qualquer lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.