As Invernas, de Cristina Sánchez-Andrade | Resenha

‘As Invernas’: uma complicada relação entre irmãs

Confesso que foi difícil começar a resenha de As Invernas, de Cristina Sánchez-Andrade, publicado pela editora Tordesilhas. Vou ser sincera: esperava outra narrativa. Basicamente, após a leitura, posso dizer que este livro não faz muito o meu estilo. Consigo traçar um paralelo entre esta prosa e as obras de Clarice Lispector e Elena Ferrante, então, se você curte estas escritoras, acho que também vai gostar deste livro!

A trama de As Invernas se passa na região da Galícia, na Espanha, durante a década de 50. Após muitos anos, duas irmãs, Dolores e Saladina, retornam à casa do avô, de onde tiveram que fugir quando crianças. As irmãs são unidas por um segredo obscuro do passado, pela paixão pelo cinema e pela vida dos artistas de Hollywood.

A essência da obra é interessante. Na minha cabeça, eu pensava: como essas irmãs que fugiram para a Inglaterra, que entraram em contato com o cinema e com as artes, irão reagir, se comportar nesta cidadezinha pacata? Como elas vão se adaptar? Que memórias elas vão revisitar? Da mesma forma, como a cidade vai reagir ao retorno delas? Imaginava que iria ter um conflito, uma tensão entre as irmãs e os habitantes da cidade, mas isso não aconteceu.

Infelizmente, não consegui me identificar com as protagonistas. Existe uma relação de amor e ódio entre as duas. Ao mesmo tempo em que elas se odeiam, porque uma atrapalha o crescimento da outra e uma tem inveja da outra, elas não sabem viver separadas. Elas têm um jeito estranho, uma coisa meio tóxica, mas eu não consegui entender o porquê. Talvez, não tenha um porquê… Eu esperava que elas tivessem um comportamento exagerado e teatral, exatamente por amarem o cinema e quererem se tornar atrizes, mas isso também não acontece.

As duas escondem um segredo ao longo de toda a trama e, cada vez que este fato é mencionado, ele é tratado como algo muito obscuro. Isso cria uma expectativa muito grande no leitor, mas está na cara qual é esse segredo – pelo menos para mim) -, e, quando ele é desvendado, é decepcionante.

A narrativa de As Invernas, contudo, não se concentra somente nas irmãs. Há outras pessoas que habitam aquela cidade, e o livro conta um pouco da história de cada um, porém, eu senti que muitas dessas histórias não ficaram bem amarradas. Não sei se isto foi feito de propósito ou não, mas, de qualquer forma, me incomodou.

Essencialmente, o livro não era o que eu esperava.

LEIA A ENTREVISTA COM A AUTORA

Renata Bacellar

Cineasta, publicitária, marketeira que sonha em passar seus dias escrevendo! Apaixonada por storytelling, seu mundo, coração e alma estão repletos pela magia dos livros, filmes e músicas...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.