Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman | Resenha

book:
neil gaiman

Reviewed by:
Rating:
5
On 03/04/2017
Last modified:21/04/2017

Summary:

Gaiman nos leva até a Asgard de maneira arrebatadora, carismática e divertida!

‘Mitologia Nórdica’: uma coletânea impecável, em todos os sentidos

Há pessoas que sabem contar uma história. Outras, conseguem nos transportar para elas. Nos fazem transcender as páginas e ir além, aguçando o nosso imaginário. Como Neil Gaiman. É impossível ficar imune à sua escrita, à capacidade criativa genial de um autor que fala com tantos públicos e sobre tantos assuntos. Porém, tem um tema em especial com o qual Gaiman parece desabrochar e expor todo o seu repertório literário, nos hipnotizando e ensinando através de cada palavra, cada frase, como um verdadeiro mestre: mitologia. Por isso mesmo, Mitologia Nórdica, o seu novo livro lançado pela editora Intrínseca, não apenas faz jus à sua paixão pelos deuses antigos, mas é uma verdadeira obra-prima, obrigatória para todos os seus seguidores.

Em Mitologia Nórdica, Gaiman reuniu 15 contos que narram desde a origem do mundo e a relação conturbada entre deuses, gigantes e anões, até o Ragnarök, o chamado apocalipse que irá levar ao fim do mundo. Odin, Loki, Thor, Frey, Freya, Heimdall, entre tantos outros deuses e criaturas… Estão todos lá. Gaiman literalmente transforma a mitologia escandinava para os seus leitores. Ele nos apresenta a sua própria versão dessas histórias incomuns de uma forma tão leve, tão divertida, objetiva, quase despretensiosa. Aliás, essa é uma impressão que eu tenho desde que li Deuses Americanos. Gaiman, em meio a toda a sua genialidade, é completamente despretensioso. Ele escreve aquilo que quer, escreve sobre o que ama. E pronto. Sem se preocupar em agradar a ninguém. E isso faz toda a diferença. Porque a gente consegue sentir a sua essência na obra.

Cada conto de Mitologia Nórdica é especial à sua maneira. Cada personagem, cada ser mitológico, cada cenário descrito por Gaiman nos leva a esse mundo encantado e surpreendente. Mas não espere doçura, não espere romance (quer dizer, até tem romance, mas são romances que geralmente envolvem trapaças, acordos, mortes e criaturas esquisitas, portanto…). Gaiman não se omite. Ele expõe as características e personalidades mais desprezíveis desses deuses, mas, ainda assim, somos arrebatados por suas histórias. Seguimos a linha do tempo criada brilhantemente pelo autor, cuja organização dos contos nos apresentou a mitologia nórdica de uma maneira linear, cativante, segura e nada maçante. Porque, olha, não é todo mundo que se interessa pelo tema, é claro. Mas é aí que temos que tirar o chapéu para um escritor que conseguiu desenvolver uma obra acessível e extremamente interessante para até o mais leigo de seus leitores.

Outra coisa que me fascina na escrita de Gaiman é o seu humor ácido e natural. Quase como se ele mesmo não se levasse a sério. Dei boas gargalhadas com Thor e sua força descomunal – que compensa a falta de cérebro – e com Loki, e sua lábia mortal. Ri mais ainda com algumas das aventuras descritas pelo autor, que envolviam, entre outras coisas, Thor vestido de noiva para se casar com uma gigante, por exemplo. Não irei me estender muito sobre os contos para não tirar o prazer daqueles que ainda não tiveram a oportunidade de desbravar a mitologia nórdica ao lado do autor. O que posso dizer é que a mitologia, pelas mãos de Gaiman, chega a ser extremamente carismática.

Agora, preciso – MUITO – fazer um comentário sobre algo que só me trouxe mais prazer e alegria ao longo da leitura. Como uma leitora apaixonada por mitologia, é óbvio que, além de Gaiman, outro nome também tem um lugar muito especial no meu coração por ter a mesma capacidade criativa e por ajudar a transformar a mitologia em algo interessante para todos, especialmente para as crianças e os jovens: Rick Riordan. E, como uma semideusa assumida (filha de Atena, por favor, né?), qual não foi a minha surpresa ao constatar que, por causa de Riordan, boa parte dos termos e dos personagens apresentados por Gaiman em Mitologia Nórdica já não era desconhecida por mim! E isso só me fez confirmar o quanto é possível, sim, aprender com esses livros e como é importante o trabalho que ambos os autores fazem em relação à mitologia. Que delícia constatar que alguns dos contos apresentados por Gaiman foram lindamente adaptados em Magnus Chase e os deuses de Asgard, a série sobre mitologia nórdica de Riordan. É incrível como os dois conseguem, mesmo com sua própria liberdade criativa, manter a essência dessas histórias e, ao mesmo tempo, transformá-las em algo único e especial. Como se fossem suas. Gaiman e Riordan, venero vocês!

E o que dizer do trabalho da editora Intrínseca? Resumindo, Mitologia Nórdica é simplesmente um dos livros mais bem feitos e lindos que eu já vi. De verdade, todo o trabalho gráfico está impecável. A capa é praticamente uma obra de arte. Todo o cuidado com o material, a revisão, a diagramação, só agregaram ainda mais valor a um livro extremamente bem escrito e fascinante. Não dá vontade de parar de ler nem de admirar.

Mitologia Nórdica é mais do que um livro sobre mitologia. É mais uma prova do talento de Gaiman. É mais uma chance de nos rendermos à sua genialidade e de aprendermos com ele. É um livro despretensioso. Engraçado e interessante, com uma narrativa que flui ao ponto de o tempo parar até que cheguemos à última página, sem percebermos. E ainda nos deixa com aquela sensação de querer sempre mais, de ouvir mais histórias. De desbravar os nove mundos várias vezes ao lado de Gaiman. E espero que a próxima aventura não demore!

AmazonLivraria CulturaSaraivaSubmarino

Gaiman nos leva até a Asgard de maneira arrebatadora, carismática e divertida!

Juliana d'Arêde

Jornalista de coração. Leitora por vocação. Completamente apaixonada pelo universo dos livros, adoraria ser amiga da Jane Austen, desvendar símbolos com Robert Langdon, estudar em Hogwarts (e ser da Grifinória, é claro), ouvir histórias contadas pelo próprio Sidney Sheldon, conhecer Avalon e Camelot e experimentar a magia ao lado de Marion Zimmer Bradley, mas conheceu Mauricio de Sousa e Pedro Bandeira e não poderia ser mais realizada "literariamente". Ainda terá uma biblioteca em casa, tipo aquela de "A Bela e a Fera".

3 comentários em “Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman | Resenha

  • 16/03/2018 em 14:20
    Permalink

    Bacana, ele tem bastante ilustrações das mitologias?

    Resposta
    • 27/03/2018 em 21:46
      Permalink

      Oie, Diego!

      Ele não tem ilustrações, não, mas é lindo!

      Vale muito a pena a leitura! 🙂

      Beijos

      Resposta
  • 03/04/2017 em 16:10
    Permalink

    Excelente resenha, Ju!

    OBS: EU QUERO ESSE LIVRO!!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.