Liturgia do Fim, de Marilia Arnaud | Resenha

‘Liturgia do Fim’: a complexidade do patriarcalismo em prosa poética

Um segredo. Um tormento que assombra a vida de um homem. Voltar à sua origem é reviver o passado. Encarar o seu maior pesadelo. Em Liturgia do Fim, de Marilia Arnaud, publicado pela editora Tordesilhas, o leitor é contemplado por uma literatura nacional de qualidade que mostra a densidade e a complexidade das relações familiares e a formação do indivíduo.

liturgia-do-fim-foto-3

Leia a entrevista do Vai lendo com Marilia Arnaud, autora de ‘Liturgia do Fim’

Inácio, escritor e professor universitário, abandona a mulher e a filha, as salas de aula e a literatura para voltar à Perdição, sua cidade natal, onde viveu até os 18 anos. Narrado em primeira pessoa, Liturgia do Fim acompanha o dilemas do protagonista e os segredos que levaram à expulsão da casa dos pais, no começo da vida adulta.

Entre presente e passado, Marilia Arnaud desenvolve a narrativa de Inácio que, aos poucos, desvenda os fantasmas que o perseguem. O gancho da trama, uma vez que o leitor não sabe exatamente como se deu o desafeto com o pai. Através das lembranças, a autora resgata as tradições da família patriarcal: fala de rigidez, machismo e a influência da religião, que acaba refletindo no comportamento do protagonista.

Liturgia do Fim é uma prosa poética de vocabulário riquíssimo a ser apreciada. Uma leitura que mergulha no íntimo da complexidade de um ser humano, na dificuldade de lidar com seus próprios problemas e na busca do seu verdadeiro eu. É uma obra mais intimista, de ritmo mais lento. Que faz refletir.

liturgia-do-fim-foto-2

Um dos destaques da obra se dá na construção dos personagens, que é fantástica. Inácio, por exemplo, é muito crível. Por mais que critique o pai, ele acaba sendo reflexo de todo um contexto patriarcal que viveu e repete ações condenáveis do progenitor – não na mesma intensidade. Os conflitos são muito verdadeiros e, em certos momentos, os defeitos do protagonista se sobressaem, causando repulsa. Principalmente, quando contrastados com o questionamento e enfrentamento ao sistema de Ifigênia (irmã de Inácio).

Liturgia do Fim é um relato brutal do patriarcalismo. Uma oportunidade de ler a retração de um traço marcante da sociedade brasileira, através da profundidade dos conflitos do ser humano, além de apreciar a riqueza da língua portuguesa.

Banner Saiba onde comprarFnacLivraria Cultura Livraria da FolhaLivraria da TravessaSaraiva Submarino

lirtugia-do-fim-ficha-2

 

 

 

 

 

Daniel Lanhas

Apaixonado por histórias, tramas e personagens. É o tipo de leitor que fica obsessivamente tentando adivinhar o que vai acontecer, porém gosta de ser surpreendido. Independente do gênero, dispensando apenas os romances melosos, prefere os livros digitais aos impressos, pois, assim, ele pode carregar para qualquer lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.