Jogos de Liderança, de Caroline Defanti | Resenha

livro:
Caroline Defanti

Reviewed by:
Rating:
3
On 23/09/2016
Last modified:05/03/2017

Summary:

Um segundo volume que esquenta as turbinas para a batalha final.

‘Jogos de Liderança’: um aquecimento do que está por vir

Vamos voltar ao universo de Dakarai, dos Copranos, dos Irmãos, da deusa Copra e de todo o mundo fantástico criado por Caroline Defanti. Em Jogos de Liderança, segundo volume da trilogia Irmandade de Copra, lançado pela editora Arwen, acompanhamos a construção de um ambiente hostil entre humanos e extraterrestres. De conflitos territoriais e poder. A guerra está por vir… Mas, calma. Ainda tem muita história pela frente.

Porém, antes de falar sobre o livro, preciso mencionar um detalhe que me agradou logo de cara; a dedicatória inicial. Caroline simplesmente dedicou a obra para “você”. Mesmo se utilizando de um termo genérico, acaba ficando muito pessoal. E, realmente, para um autor iniciante nada é mais importante do que o leitor. Uma bela homenagem. Curti bastante!

jogos-de-lideranc%cc%a7a-1

Voltando à trama de Jogos de Liderança… Anos após o seu desaparecimento, Aeris vive na Terra com Dakarai imersa no estilo de vida Coprano, respeitando a natureza e amando a deusa Copra. Ela já estava adaptada com a sua nova vida, até que um contato com um Irmão a faz descobrir algo terrível: a Irmandade não é mais a mesma. Um novo líder vem traçando planos sombrios que colocam todos, principalmente os copranos, em risco. Agora, é hora de buscar uma saída: juntar estratégias, fazer alianças e defender os seus ideais.

Uma coisa que eu gosto muito no livro da Caroline é a apropriação de elementos da nossa cultura e dos lugares que no passado foram cidades brasileiras. No início do livro já fui surpreendido com uma descrição que remete à Baía de Guanabara. Como sou de Niterói, assim como a autora, confesso que fiquei tocado. Num mercado repleto de referências estrangeiras, é sempre bom prestigiar a literatura nacional.

file1

A humanização do alien é outro elemento que me agrada bastante. Caroline Defanti inverte os estereótipos, onde os humanos são os seres desprezíveis e interesseiros e os extraterrestres, os caras legais. Ela passa uma mensagem bem bacana de que podemos aprender com o diferente e que não necessariamente o ponto de vista que temos é o certo. Misturado a isso, o humor da autora transforma Jogos de Liderança em uma ficção bem divertida. Uma leitura leve e agradável.

Este livro é basicamente uma sequência de cenas que culminarão na batalha final que ocorrerá no terceiro volume. Explica como a guerra vai se configurar. Em alguns momentos, as passagens são longas demais.Como falei na resenha anterior, acho que a divisão prejudicou a obra como um todo, sendo o segundo volume a principal vítima. Defendo a Irmandade de Copra como um livro único. Acho que poderia enxugar estas partes e ir logo para o tiro, porrada e bomba.

Por isso mesmo, faltaram ações e reviravoltas em Jogos de Lideranças. Teve uma morte que me surpreendeu, confesso. Mas, de resto, só preparação. Por mais que um livro seja dividido em partes, e o do meio tenda a ser mais devagar, sempre é bom dar algumas recompensas ao leitor. Fiquei apenas mais ansioso.

Uma das novidades do segundo livro é o aparecimento/desenvolvimento do vilão. Não vou falar quem é porque eu achava que era outro personagem. Isso é bom, gosto de ser surpreendido (ainda mais no vilão). Com certeza, ainda tem muita coisa a ser esclarecida, e acredito que tenha também outra pessoa por trás dele. Sei lá. Ou teremos novos fatos e vilanias que configurem o status, ou ele é fantoche de alguém mais poderoso. Só elucubrando… Coisas de leitor.

file

Em relação à parte física, houve uma melhora significativa para o segundo volume. Não sei especificar ao certo as mudanças na diagramação, mas surtiu efeito na leitura, tornando-a mais agradável. A revisão está bem melhor e, desta vez, não há spoilers no glossário.

Tenho certeza de que o terceiro, e último volume, da trilogia Irmandade de Copra será superior ao segundo. Afinal, como mencionei anteriormente, Jogos de Liderança é um aquecimento para o desfecho e não trouxe muitos elementos novos. Isso me incomodou um pouco.

Entretanto, gosto muito do universo criado pela Caroline. Mesmo ainda começando, é possível notar um talento na escrita. Estou ansioso para o terceiro volume e com grandes expectativas! Que venha o grand finale.

Banner Saiba onde comprarArwen Store

ficha-tecnica-jogos-de-lideranc%cc%a7a

 

 

 

 

 

Um segundo volume que esquenta as turbinas para a batalha final.

Daniel Lanhas

Apaixonado por histórias, tramas e personagens. É o tipo de leitor que fica obsessivamente tentando adivinhar o que vai acontecer, porém gosta de ser surpreendido. Independente do gênero, dispensando apenas os romances melosos, prefere os livros digitais aos impressos, pois, assim, ele pode carregar para qualquer lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.