Lista: Dia Internacional do Livro Infantil

Aprender a ler é, sem dúvida, uma das maiores conquistas das nossas vidas. A leitura nos transforma e nos engrandece. Nos faz conhecer novos mundos e estimula a nossa criatividade. Por isso mesmo, o Dia Internacional do Livro Infantil é comemorado em 2 de abril, em homenagem a Hans Christian Andersen, criador de alguns dos maiores contos de fadas, entre eles A Pequena Sereia, O Patinho Feio e A Polegarzinha. Para comemorar essa data tão especial, preparamos uma lista com dicas de livros infantis de autores internacionais para todos os gostos, desde os clássicos até algumas leituras mais contemporâneas. O mais importante é que essas histórias marcam e marcaram gerações e, até hoje, nos fazem sonhar.

Lista em homenagem ao Dia Internacional do Livro Infantil:

1 Harry Potter, J. K. Rowling (Rocco)

Harry-Potter-e-a-Pedra-Filosofal-livro
‘Harry Potter e a Pedra Filosofal’ / divulgação

A série Harry Potter conta a história de um menino que dorme embaixo de uma escada na casa dos tios. Quando ainda bebê, Harry teve sua casa invadida por um terrível bruxo responsável pelo assassinato de seus pais e é o único sobrevivente. Porém, Harry não sabe disso, e acha que é apenas um garoto normal que às vezes parece fazer coisas estranhas acontecerem. Entretanto, no dia de seu aniversário de 11 anos, Harry recebe uma visita inesperada e descobre que é um bruxo, assim como seus pais foram, e que está convidado a ingressar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Harry, então, vai para Hogwarts, onde irá aprender poções, feitiços e a jogar Quadribol, e se meter em aventurar que irão ensiná-lo sobre a vida.

2 As Crônicas de Nárnia, de C. S. Lewis (Martins Fontes)

O_Leão,_a_Feiticeira_e_o_Guarda-Roupa
‘As Crônicas de Nárnia – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa’ / divulgação

As Crônicas de Nárnia  é uma série de sete livros de fantasia, escrita pelo autor irlandês C. S. Lewis. É a obra mais conhecida de Lewis, sendo a série considerada um clássico da literatura, tendo vendido mais de 120 milhões de cópias mundialmente, figurando como uma das obras literárias mais bem sucedidas e conhecidas de todos os tempos, traduzida em 41 idiomas.

As Crônicas de Nárnia apresentam, geralmente, as aventuras de crianças que desempenham um papel central e descobrem o ficcional Reino de Nárnia, um lugar onde a magia é corriqueira, os animais falam, e ocorrem batalhas entre o bem e o mal. Em todos os livros (com exceção de “O Cavalo e seu Menino”) os personagens principais são crianças de nosso mundo, que são magicamente transportadas para Nárnia a fim de serem ajudadas e instruídas pelo Grande Leão conhecido como  Aslan. (Fonte: Wikipédia)

3 O Pequeno Príncipe, de Antoine Saint-Exupéry (Agir)

o-pequeno-principe-antoine-saint-exupery-ed-agir-lacrado-607111-MLB20496894351_112015-O
‘O Pequeno Príncipe’/ divulgação

Por meio de uma narrativa poética, o livro busca apresentar uma visão diferente de mundo, levando o leitor a mergulhar no próprio inconsciente, reencontrando sua criança.

À primeira vista, um livro para crianças. Na definição de Antoine Saint-Exupéry, seu autor, “um livro urgentíssimo para adultos”, o que talvez explique a extraordinária sobrevivência literária de O Pequeno Príncipe. Publicado pela primeira vez em 1943 na Nova York em que foi escrito e, no ano seguinte, na França, a versão brasileira chegou às livrarias em 1952.

Apesar da presença explícita de dois personagens e do registro de um diálogo entre o aviador e uma criança, diversos aspectos autobiográficos estão presentes nesta narrativa. Através de imagens simbólicas, as passagens de ordem temporal, na vida do autor, estão ali presentes: casamento/separação, profissões, sonhos, decepções. Os dois personagens tornam-se representações do próprio Saint-Exupéry, em um monólogo interior entre o “eu” e o “outro”. Acompanha uma carta muito especial do sobrinho de Antoine de Saint-Exupéry e a assinatura do autor na capa.

4 Diário de um Banana, de Jeff Kinney (V&R Editoras)

Diario_de_um_banana1
‘Diário de um Banana’ / divulgação

Não é fácil ser criança. E ninguém sabe disso melhor do que Greg Heffley, que se vê mergulhado no ensino fundamental, em que fracotes subdesenvolvidos dividem os corredores com garotos mais altos, mais malvados e que já se barbeiam. Em Diário de um Banana, Greg conta as desventuras de sua vida escolar. Em busca de um pouco de popularidade (e também de um pouco de proteção), o garoto se envolve em uma série de situações que procura resolver de uma maneira muito particular.

5 Peter Pan, de J. M. Barrie  (Zahar)

Peter Pan
‘Peter Pan’ / divulgação

Peter Pan quer ser eternamente menino. Na história criada pelo escritor escocês J.M.Barrie, Peter e a fada Sininho levam seus amigos Wendy, João e Miguel para conhecer o lugar em que vivem, a Terra do Nunca, onde o tempo não passa. Uma sucessão de aventuras espera a turma. Eles vão se deparar com um navio pirata e ter que enfrentar o temível Capitão Gancho, conhecer a aldeia dos índios e os meninos perdidos.

6 Extraordinário, de R.J. Palacio (Intrínseca)

'Extraordinário' /Divulgação
‘Extraordinário’ /Divulgação

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade – até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente – convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

7 Desventuras em Série, de Lemony Snicket (Companhia das Letras)

Download-livro-Mau-Começo-Desventuras-em-Serie-Vol-1-Lemony-Snicket-em-Epub-mobi-e-PDF1-370x540
‘Desventuras em Série – Mau Começo’ / divulgação

É uma série de treze livros escrita por Lemony Snicket (pseudônimo de Daniel Handler) e ilustrada por Brett Helquist. A série se trata das aventuras de três crianças, os órfãos Baudelaire, após a morte de seus pais em um incêndio. A ambientação da história é anacrônica, e a série é repleta de alusões literárias e culturais. ( Fonte Wikipédia)

8 Percy Jackson & os Olimpianos, de Rick Riordan (Intrínseca)

o-ladrao-de-raios
‘Percy Jackson & os Olimpianos – O Ladrão de Raios’ / divulgação

É uma série literária composta por cinco livros de aventura e fantasia, escritos por Rick Riordan, que retrata a mitologia grega no século XXI. O personagem principal da série é Percy Jackson, que descobre ser um meio-sangue filho de Poseidon, deus do mar. Além dele, outros personagens notórios são Annabeth Chase, filha de Atena, Grover Underwood, um sátiro adolescente, Thalia Grace, filha de Zeus, e Luke Castellan, filho de Hermes. Todas as ilustrações oficiais da série foram feitas por John Rocco.

Mais de 50 milhões de cópias dos livros já foram vendidas em mais de trinta e cinco países.A série de livros é também considerada uma das mais vendidas da história. (Fonte Wikipédia)

9 Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll (Cosac Naify)

Alice
‘Alice + Alice’ / Divulgação

A Caixa Alice + Alice vem com dois livros: “Alice através do espelho”, com ilustrações da artista Rosângela Rennó, e “Alice no País das Maravilhas” ilustrada por Luiz Zerbini, desta vez, com uma faca especial na capa, ao invés dos cantos arredondados. Zerbini. Se Zerbini usou um baralho para ilustrar a história da menina que segue o coelho branco por um buraco no bosque e cai num país maravilhoso – onde vive inacreditáveis aventuras acompanhada de seres que agem dentro da lógica do nonsense -, em “Alice através do espelho” a artista visual mineira Rosângela Rennó se apropriou de frames de filmes e de algumas das célebres ilustrações de John Tenniel para recriá-los com um efeito de distorção produzido pela interferência de uma lente ao refotografar as imagens. O resultado é uma perspectiva “através da lente”, uma multiplicidade de Alices. “Alice através do espelho” foi publicada originalmente seis anos depois do primeiro livro e evidencia o Lewis Carroll matemático, uma vez que é construída dentro das regras do jogo de xadrez. As personagens agem exatamente como peças numa partida: capturam peões e cavalos, dão o xeque-mate. Neste mundo, dividido em quadrantes como um tabuleiro, delimitados por riachos e outros obstáculos, as personagens-peças brancas e vermelhas não esperavam encontrar a menina Alice, que, sem muito entender das particularidades deste universo, em onze movimentos (ou capítulos) vence a partida, ou seja, torna-se rainha. A Caixa Alice + Alice, quando aberta, pode servir de expositor para os dois volumes e tem o interior em papel metalizado, imitando um espelho. Alice no país das maravilhas O livro conta a história das aventuras de Alice ao cair numa toca de coelho, que a leva a um lugar povoado por criaturas que misturam características humanas e fantásticas e lhe apresentam enigmas. O conjunto vem dentro de uma caixa que simula a embalagem de baralho. Alice através do espelho e o que ela encontrou lá Alice através do espelho foi publicada originalmente seis anos depois do primeiro livro. Esta história evidencia o Lewis Carroll matemático, uma vez que é construída dentro das regras do jogo de xadrez. As personagens agem exatamente como peças numa partida; capturam peões e cavalos, dão o xeque-mate. Neste mundo, dividido em quadrantes como um tabuleiro, delimitados por riachos e outros obstáculos, as personagens-peças brancas e vermelhas não esperavam encontrar a menina Alice, que, sem muito entender das particularidades deste universo, em onze movimentos (ou capítulos) vence a partida, ou seja, torna-se rainha.

E como não poderíamos esquecer…

10 Contos de Fadas, de Grimm, Perrault e Andersen, entre outros (Zahar)

ContosDeFadas_Comentado
‘Contos De Fadas’ / divulgação

A obra traz as mais famosas histórias infantis em suas versões originais, sem adaptações. São ao todo 26 contos de Grimm, Perrault e Andersen, entre outros, enriquecidos por centenas de notas que exploram suas origens históricas e complexidades culturais e psicológicas, além de uma apresentação. O volume conta também com uma coleção de cerca de 240 pinturas e desenhos, muitos deles raros, de ilustradores célebres como Arthur Rackham, Gustave Doré, George Cruikshank, Edward Burne-Jones, Edmund Dulac e Walter Crane. E traz ainda biografias de autores, compiladores e ilustradores, além de apêndices com diferentes versões de alguns contos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.