‘Leiturinha’ leva livros a crianças de todo o Brasil

Adquirir o hábito da leitura, em qualquer idade, é expandir o conhecimento para novos mundos e viver sempre novas experiências. Mas, quando os livros entram em nossas vidas desde que conseguimos entender o significado das palavras, vivemos uma fase especial de liberdade e descobertas, ao sermos tragados para histórias espetaculares e aprendendo, sempre, com personagens inspiradores. Os pais são os principais responsáveis e aliados da leitura na vida das crianças ao estimularem a prática em casa, desde a época em que seus filhos apenas podiam ouvir, maravilhados e curiosos, as aventuras contadas diariamente antes de dormirem. E foi pensando nesse momento que surgiu a Leiturinha, o primeiro clube de assinatura de livros infantis do Brasil.

Divulgação/Márcia Alves
Divulgação/Márcia Alves

Se ler já é uma experiência prazerosa, poder compartilhá-la é melhor ainda. Assim, em maio deste ano, após uma conversa sobre paternidade três sócios decidiram dar início ao projeto Leiturinha, pois o “hábito da leitura com os filhos propiciava momentos extremamente agradáveis, além de ser uma atividade importante para o estabelecimento de um vínculo permanente de carinho e aprendizado”. A iniciativa conta atualmente com 4,5 mil assinantes e realiza, todo mês, a entrega de livros infantis escolhidos por uma equipe composta por pedagogos e psicólogos. A seleção dos títulos é feita com base nas características de cada criança, fornecidas pelos pais na hora do cadastro, e ajuda a estimular o interesse pela leitura, uma vez que desperta a curiosidade a respeito da obra que será disponibilizada.

Guilherme Martins/Divulgação/Márcia Alves
Guilherme Martins/Divulgação/Márcia Alves

“Nós todos gostamos muito de incentivar a leitura e ler para os nossos filhos”, explicou Guilherme Martins, um dos sócios da Leiturinha ao Vai Lendo. “Nosso desejo era que o projeto fosse o mais bem feito possível. As crianças gostam muito e tem sempre a expectativa da chegada de novos pacotes, pois o fator surpresa é parte do produto. Isso traz a expectativa e emoção de receber os livros. Outro ponto é que as crianças normalmente tem fases daquilo que gostam ou não, e tentamos, através da seleção, criar uma variedade de temas/assuntos para despertar interesse e estímulos diferentes. O conteúdo/seleção é bastante estudado para sempre gerar os valores propostos pela Leiturinha”.

A Leiturinha, Martins ressaltou, busca regularmente ampliar a quantidade de títulos para o envio. De acordo com ele, antes da entrega, porém, os livros são submetidos aos profissionais que “atribuem alguns rótulos ao título, entre eles faixa etária, assunto e tipo de livro (com interação, sem interação, etc). A expectativa dos sócios é chegar aos 7 mil assinantes no ano que vem, bem como aumentar a faixa etária das crianças que podem fazer parte do clube (no momento, apenas crianças até os oito anos). Martins também afirmou que já há diversas frentes para levar o Leiturinha às escolas, em 2015, e que eles procuram novos canais para que os serviços “se tornem cada vez mais parte do cotidiano desse público”.

“O número de adesões foi muito acima do que esperávamos”, informou. “Nossa felicidade é poder ver que conseguimos levar a esse público algo muito bem estudado e feito com carinho, que, assim como nossos clientes, também somos usuários de nossos serviços”.

A iniciativa faz entregas em todo o Brasil e pode ser feita também em qualquer dispositivo (desktop, smartphones ou tablets). Há opções para planos mensais, trimestrais, semestrais e anuais, que incluem o recebimento de um livro (com valores de R$ 29 a R$ 44) ou dois livros (nos valores de R$ 49 a R$ 69). Todos os planos são compostos ainda por um marcador de página personalizado e uma cartinha com explicações e dicas pedagógicas. Quem quiser presentear alguma criança com a assinatura pode optar pela modalidade presente (Gift), sem período de adesão com pagamento único de R$ 79. Para Martins, o objetivo principal da Leiturinha é ajudar no desenvolvimento das crianças e na formação de novos leitores. E, a julgar pela resposta das crianças, o resultado é extremamente positivo.

Divulgação/Márcia Alves
Divulgação/Márcia Alves

“O hábito de ler auxilia o desenvolvimento das crianças de várias maneiras, desde a coordenação motora até a criatividade, passando pela criação de vínculo dos pais/mães lendo para eles, até o momento em que se tornam leitores independentes”, declarou. “O que vemos em comum nas respostas das crianças é a alegria em receber o pacote contendo a surpresa, a responsabilidade em guardar bem aqueles livros e a sensação de que, assim como os pais, eles são pessoas que também estão dentro da rotina de suas casas ao receber uma encomenda. E os pais também gostam muito de participar de todo esse processo, mandam fotos e vídeos com as reações das crianças, comentam sobre a escolha dos livros, mandam sugestões e interagem conosco pelo nosso blog e pelo Facebook. O negócio, quando possui uma finalidade além da financeira, traz um sentimento de satisfação maior, faz com que estejamos envolvidos em cada sugestão/elogio/reclamação. Temos grande orgulho de sermos responsáveis por semear parte da nova geração de leitores e agradecemos a todos que confiam em nosso trabalho”.

Para maiores informações acesse o site www.leiturinha.com.br.

 

 

Juliana d'Arêde

Jornalista de coração. Leitora por vocação. Completamente apaixonada pelo universo dos livros, adoraria ser amiga da Jane Austen, desvendar símbolos com Robert Langdon, estudar em Hogwarts (e ser da Grifinória, é claro), ouvir histórias contadas pelo próprio Sidney Sheldon, conhecer Avalon e Camelot e experimentar a magia ao lado de Marion Zimmer Bradley, mas conheceu Mauricio de Sousa e Pedro Bandeira e não poderia ser mais realizada "literariamente". Ainda terá uma biblioteca em casa, tipo aquela de "A Bela e a Fera".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.