Evandro Klug mexe com o imaginário do leitor com figura do folclore norte-americano

Com o terror ‘Olhos Vermelhos: A Fera, O Diário e o Amuleto’, lançado de maneira independente pela Amazon e no Wattpad, escritor curitibano vem acumulando boas críticas do público

‘Olhos Vermelhos: A Fera, O Diário e o Amuleto’, de Evan Klug / Divulgação

O sonho de entrar no mercado editorial e ver seu livro com o selo de uma editora e nas estantes dos leitores. As dificuldades de um autor iniciante para começar a carreira e, ao mesmo tempo, conciliar com as responsabilidades e os compromissos da vida. Mas, acima de tudo, a persistência e a determinação para lutar até o fim pelo seu objetivo e ser reconhecido. Essa é a jornada de muitos aspirantes a escritores e, por isso, o Vai Lendo tem o prazer de dar início ao projeto Novos Autores/Independentes para oferecer um espaço e ajudar a divulgar a nova literatura nacional. E já apresentamos a vocês um desses promissores nomes, o curitibano Evandro Klug, autor de Olhos Vermelhos: A Fera, O Diário e o Amuleto.

Lançado em outubro de 2016 no formato digital, pela Amazon, Olhos Vermelhos: A Fera, O Diário e o Amuleto é um terror que mexe com o imaginário do leitor e traz uma história surpreendente e hipnotizante baseada numa lenda indígena. Com a sua primeira obra, Evandro vem conquistando boas críticas dos leitores e já está com quase 4 mil leituras no Wattpad. Cuidando de todo o processo do livro, o autor ressaltou as dificuldades em relação à rotina e principalmente ao tempo de escrita.

“O processo todo foi bem difícil”, afirmou Evandro ao Vai Lendo. “Primeiro, eu escrevi a história, dia após dia, determinando qual seria o próximo passo a seguir com os personagens e o enredo. Depois, lia o que tinha escrito e era normal apagar quase tudo e escrever de novo. Lia e relia várias vezes, para encontrar erros que tivessem passados despercebidos. Amarrar pontas soltas. Pedia para outras pessoas lerem e darem o feedback. Normalmente, quem fazia este trabalho era minha esposa, Camila. Ela lia as páginas que havia acabado de escrever, fazia uma ou outra correção gramatical, se fosse o caso, e dava o seu parecer sobre a história. Ela não é fã de suspense ou terror, mas aquilo não era apenas uma leitura, era o meu trabalho e ela me apoiava nisso. Ela é muito medrosa para livros ou filmes de terror, e ver sua feição e suas reações enquanto estava lendo o que eu tinha acabado de escrever era impagável. Esse era o melhor teste, até então. Ela fazia comentários, nós conversávamos sobre o rumo que a história havia tomado, mas nunca dei spoilers sobre o que tinha em mente para o futuro. Ela era minha experiência como leitora e sempre me perguntava: “E agora? O que vai acontecer? Não acredito que vou dormir sem saber o que aconteceu com este ou outro personagem”. Confesso que, às vezes, nem eu mesmo sabia o que iria acontecer. Olhos Vermelhos: A Fera, O Diário e o Amuleto foi um livro escrito totalmente no feeling, sem ter um plano fixo a ser seguido. A minha maior dificuldade acredito que foi o TEMPO. Por não viver da escrita, eu tenho um emprego que consome quase todo o meu dia; depois, tenho uma família a quem devo atenção quando chego do trabalho e, ainda assim, precisava encontrar tempo para escrever, para pensar, idealizar, revisar… Enfim, foi complicado, mas, no fim, deu certo. Meus filhos e minha esposa foram compreensivos nos dias em que eu me dedicava mais ao livro, tive que saber dosar isso. Por estes motivos demorei tanto para terminar a história, foram dois anos apenas para escrevê-la”.

Agora, o próximo passo, Evandro afirmou, é encontrar uma editora para publicar o seu livro. Apesar de ter recebido diversas propostas, todas exigiam do autor um pagamento bastante considerável para que lançarem a obra. Ele, então, decidiu começar pela Amazon, de maneira independente e em formato de e-book, e depois ainda disponibilizou tudo no Wattpad, gratuitamente. Mas ainda segue na busca de uma editora que possa publicar o seu livro sem cobrar. Olhos Vermelhos, por sua vez, traz uma figura do folclore norte-americano, ainda pouco conhecido do público brasileiro. Portanto, ele ainda se dedicou intensivamente à pesquisa para desenvolver uma criatura que, de fato, atiçasse a curiosidade dos leitores.

A primeira coisa que eu precisava fazer era definir na minha mente como era a criatura e que poderes ela teria”, explicou. “Depois, me colocar no lugar dos demais personagens para que eles pudessem especular com o que estavam lidando. Isso foi muito divertido; tentei não entregar fácil as coisas ao leitor. Ele tem que se envolver com o enredo para ir descobrindo tanto a criatura quanto a trama. Quando decidi tratar dessa criatura do folclore norte-americano tive que me dedicar muito à pesquisa, e não seria diferente se fosse de uma criatura do nosso próprio folclore. Pesquisa é necessária sempre. Ainda bem que vivemos em uma época em que a internet nos permite acessar informações de qualquer parte do mundo. E foi assim. Li tudo o que encontrei a respeito. Os relatos e as variações da lenda, até das características da criatura, são muitos, então, criei a minha própria criatura, respeitando o seu folclore, mas tive que decidir o que ficava dentro e o que ficava de fora e, depois, coloquei nisso tudo meus toques pessoais”.

Evandro ainda contou que suas referências literárias são variadas, mas atualmente nomes como os de Suzanne Collins (“com sua narrativa em primeira pessoa, simples, de fácil entendimento), Raymond E. Feist (“que procura sempre ter uma narrativa com continuidade, sem deixar cair o andamento da história) e Andrew Pyper (“que já possui um texto um pouco mais confuso, mas consegue prender pela tensão”) são alguns dos que exercem uma influência maior sobre o seu trabalho. Quanto à influência dos leitores, ele exaltou a oportunidade que o Wattpad oferece de ajudar a formar o seu próprio público na internet e a se desenvolver melhor como autor.

O Wattpad tem sido ótimo para mim”, concluiu. “Em primeiro lugar, possibilita uma interação fantástica com o leitor, coisa que até então ainda não havia experimentado em larga escala. Alguns leitores são também escritores e isso gera uma troca bem bacana. São diferentes estilos, gêneros, idades. O Wattpad me ajudou a alcançar um público que não conseguiria de outra forma. A possibilidade de receber em tempo real o feedback de um leitor em outra cidade, estado ou até em outro país é muito legal. Receber esses comentários faz eu me manter firme em meu propósito. Ler um comentário de uma pessoa que você não conhece dizendo que o seu livro é o melhor que ele já leu na vida é o maior presente que eu, como escritor, posso receber. Ou então, outro comentário dizendo que o meu livro deve ser aplaudido de pé e que merece ser publicado por uma grande editora é a realização de um sonho. O próximo passo agora é conseguir este espaço em uma editora. Ainda estou aprendendo como autor, tenho muito ainda para progredir, mas, com certeza, essa interação com meu público, que tem crescido a cada dia, e também com outros autores, tem contribuído muito para minha formação como autor”.

SINOPSE DE ‘OLHOS VERMELHOS: A FERA, O DIÁRIO E O AMULETO’:

Will faz parte de uma expedição que documenta curiosidades sobre a vida selvagem. O novo projeto em que está envolvido leva-o, juntamente com o restante da equipe, até o Canadá. No entanto, vários contratempos os colocam em um lugar um pouco diferente do seu destino. O misterioso desaparecimento de um garoto, aliado ao desejo de registrar a vida selvagem da região, coloca Will e seus colegas em um grupo de buscas.

O ataque de uma fera selvagem dispersa o grupo. Will se vê sozinho em uma floresta estranha onde muitas coisas parecem não fazer sentido. Um a um, os integrantes do grupo são caçados por uma misteriosa criatura. O que poderia ser? Um ser humano? Animais selvagens? Ambos? Ou algo bem diferente?

Repleta de suspense e emoção, esta aventura promete ser aterradora. Em quem Will poderia confiar? O coração humano pode ser cruel, e ele está prestes a descobrir o que tudo isso pode custar… Sua vida, sua família e sua humanidade. Poderia uma antiga lenda indígena provar-se verdadeira? O terror assola a realidade e a mente. Tensão, tortura e morte te levarão ao covil nas montanhas, onde a grande maldição pode ser continuar vivo. Will precisará de toda a ajuda disponível para enfrentar o mais brutal dos desafios: vencer a si mesmo!

ASSISTA AO BOOK TRAILER DO LIVRO:

Data de Lançamento:  02/10/2016

Gênero: Suspense/Terror

Formato: apenas digital (até o momento)

Links:

https://www.wattpad.com/user/EvanKlug

https://www.facebook.com/aespreita/

https://www.facebook.com/evandro.klug

Onde comprar  ‘Olhos Vermelhos: A Fera, O Diário e o Amuleto’:

Amazon

Juliana d'Arêde

Jornalista de coração. Leitora por vocação. Completamente apaixonada pelo universo dos livros, adoraria ser amiga da Jane Austen, desvendar símbolos com Robert Langdon, estudar em Hogwarts (e ser da Grifinória, é claro), ouvir histórias contadas pelo próprio Sidney Sheldon, conhecer Avalon e Camelot e experimentar a magia ao lado de Marion Zimmer Bradley, mas conheceu Mauricio de Sousa e Pedro Bandeira e não poderia ser mais realizada “literariamente”. Ainda terá uma biblioteca em casa, tipo aquela de “A Bela e a Fera”.

Um comentário em “Evandro Klug mexe com o imaginário do leitor com figura do folclore norte-americano

  • 19/07/2017 em 14:26
    Permalink

    Obrigado Juliana. Amei a matéria e parabéns novamente pela iniciativa e pelo espaço. Abração!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.