Jantar Secreto, de Raphael Montes | Resenha

Review of: Jantar Secreto
livro:
Raphael Montes
Version:
http://www.vailendo.com.br/2017/02/15/jantar-secreto-de-raphael-montes-resenha/

Reviewed by:
Rating:
5
On 15/02/2017
Last modified:23/06/2017

Summary:

Um livro para ser devorado sem parcimônia!

Jantar Secreto: um livro para ser devorado sem parcimônia

Você foi convidado para uma experiência gastronômica inesquecível. Um evento onde poderá apreciar distintas receitas com uma suculenta carne exótica. Tudo elaborado pelo renomado chef V.H. Algo para poucos, exclusivo! Só uma recomendação: mantenha discrição, saboreie e aproveite a noite. Seja bem-vindo ao Jantar Secreto, escrito por Raphael Montes e publicado pela Companhia das Letras, um livro que mostra como quatro amigos enfrentaram as adversidades da vida adulta, se envolvendo em um esquema sinistro. Uma obra temperada com adrenalina do começo ao fim e que mexe com o paladar do leitor.

Dante, Leitão, Miguel e Hugo são amigos de infância que realizam o sonho de sair de uma cidadezinha no interior do Paraná para cursar uma faculdade no Rio de Janeiro. Em Copacabana, o grupo dá a sorte de alugar um apartamento espaçoso, que atende às expectativas de todos. Tudo parecia ir bem! Uma vida de possibilidades e oportunidades estava para começar. Até que problemas financeiros obrigam os amigos a tomar uma atitude extrema. O que se inicia como uma situação de desespero, foge de controle e os quatro se veem envolvidos numa espiral de crimes.

Sem firulas e com propriedade, Raphael Montes narra, em boa parte sob a perspectiva de Dante, como o protagonista e seus amigos entraram naquele obscuro universo. A escrita do autor é fantástica, envolvente e rica. O texto é bastante objetivo, omitindo alguns fatos desnecessários, o que proporciona uma agilidade incrível para a trama. É para devorar! Não existe melhor definição. Inclusive, a rápida edição de Jantar Secreto favorece que possíveis questionamentos sobre a veracidade de alguns fatos narrados na movimentada Copacabana passem quase despercebidos.

Jantar Secreto ainda tem um ingrediente a mais. O autor mescla diferentes estruturas narrativas: ora na cartas que Leitão escreve à mãe e em emails, ora em uma cena de ação através de mensagens de Whatsapp – que é o melhor, principalmente pelo uso de imagens hilárias. Estes efeitos dão uma quebra na história, mesmo não precisando. Contudo, o autor mostra também uma aproximação com o público jovem, além de se apropriar de uma forma bastante atual de comunicação. É bem interessante! Um toque especial que deixa tudo ainda mais saboroso.

Os personagens são bem críveis e desenvolvidos. Tudo é milimetricamente calculado. Nenhum deles parece estar ali por acaso. São peças de um quebra-cabeça perfeito.Uma atitude em relação ao Dante, porém, me incomodou. Entendo o perfil traçado por Raphael Montes, mas o fato de o protagonista criticar constantemente livros de colorir e de youtubers ficou um pouco cansativo. Respeito a posição do personagem – pelo histórico dele é compreensível a atitude -, mas a excessiva repetição ficou quase uma crítica gratuita e vazia. Perfeitamente, poderia ser minimizada.

O autor mescla muito fatos e lugares reais com ficção. Ao ler, você certamente já ouviu falar, mesmo que vagamente, de alguns casos citados em notícias, por exemplo. É claro que tem muita criação livre em cima. Mas provoca uma aproximação, uma identificação com a realidade. Algo fundamental para o gênero. Atualmente, moro em Copacabana e passo todo o dia pela Inhangá para ir ao trabalho. É muito palpável imaginar os quatro amigos conversando no bar. É fascinante e, ao mesmo tempo aterrorizante, afinal, vizinhos meus podem estar cometendo atrocidades. Tenso isso, não? O perigo está bem próximo!

Jantar Secreto também traz à tona a questão da civilidade humana e a sua natureza animal, além de problematizar o canibalismo. A morte está todos os dias bem na nossa frente. No nosso prato de comida – apesar deste detalhe ser bastante “esquecido”. Porque consumimos a carne de alguns animais e outras são consideradas crimes, dependendo da cultura? O livro traz uma discussão muito boa sobre o tema, sem prejudicar o ritmo frenético da obra.

Em certos pontos, não vou dizer quais, o livro me chocou. Isso é bom. É a proposta da literatura de Jantar Secreto. Causar desconforto. Raramente me impressiono com alguma coisa e, bem, confesso que fiquei impressionado. Acho que isso já diz tudo. Em relação ao gran finale, tenho que admitir que não me surpreendeu muito, apesar de ser incrível. Vou explicar: fiquei tão obcecado pela leitura que, a partir do momento que percebi que tudo tinha um propósito, fiquei muito mais atento e tive minhas suspeitas confirmadas. Sabe aquela pista que o autor joga para o leitor ter o prazer de solucionar também a trama? Porém, eu não contava com o último jantar. Não me julguem! Mas que cena aterrorizante e grotescamente maravilhosa! Isso sem contar com o fundo musical. Magnífico!

Ficaram com água na boca? Espero que sim!

Então, sirvam-se desta deliciosa literatura nacional e devore, sem parcimônia Jantar Secreto. Mas um aviso: a obra é para quem tem estômago forte. Depois, não digam que não foram avisados.

FnacLivraria Cultura Livraria da FolhaLivraria da TravessaSaraivaSubmarino

 

 

 

 

 

Um livro para ser devorado sem parcimônia!

Daniel Lanhas

Apaixonado por histórias, tramas e personagens. É o tipo de leitor que fica obsessivamente tentando adivinhar o que vai acontecer, porém gosta de ser surpreendido. Independente do gênero, dispensando apenas os romances melosos, prefere os livros digitais aos impressos, pois, assim, ele pode carregar para qualquer lugar.

Um comentário em “Jantar Secreto, de Raphael Montes | Resenha

  • 17/02/2017 em 21:25
    Permalink

    Concordo plenamente. Achei esse livro incrível. Era praticamente impossível interromper a leitura mesmo tendo que parar de tempos em tempos para recompor o fôlego.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.